28.3.17

Sema lança licitação para redesenhar o Fundo Único do Meio Ambiente do Distrito Federal

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Distrito Federal - SEMA-DF publicou edital de Concorrência Pública nº 01/2017 para redesenhar o Fundo Único do Meio Ambiente do Distrito Federal - FUNAM.

EDITAL DE LICITAÇÃO
CONCORRÊNCIA N.º 01 /2017-SEMA-DF

OBJETO: contratação de Serviços de CONSULTORIA ESPECIALIZADA para elaboração de estudos de análise, revisão e desenvolvimento do redesenho organizacional do Fundo Único do Meio Ambiente do Distrito Federal – FUNAM, no propósito de ampliar a arrecadação e revisar as normas, regras e regulamentos.

Data de abertura das propostas: 19/04/2017
Valor estimado: R$ 102.262,50

Mais informações: clique aqui

Fonte: Sema/DF

21.3.17

Novo Projeto Mensageiros da Água nas escolas do DF

Projeto da Educação em parceria com a Caesb prevê que professores ou coordenadores criem ações de uso sustentável do recurso hídrico e levantem dados sobre o consumo

Professores e coordenadores da rede pública do Distrito Federal serão escolhidos para criar ações de uso sustentável de água e levantar dados sobre o consumo nas escolas. Eles farão parte do Projeto Mensageiros da Água, parceria da Secretaria de Educação com a Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

A ideia é conscientizar estudantes e servidores do ensino público sobre a crise hídrica e acompanhar os gastos e necessidades das unidades de ensino. O cargo de mensageiro da água foi instituído por meio de uma circular assinada pelo subsecretário de Educação Básica, Daniel Crepaldi.

“Essas informações serão usadas para que a secretaria e a Caesb tenham conhecimento das realidades de consumo de água de cada unidade. Há escolas no DF sem caixa d’água, em área rural ou com plantação de horta”, explica a assessora do gabinete da Secretaria de Educação, Luciana Oliveira.

Depois de escolhidos, os mensageiros farão uma oficina de formação para o cargo, prevista para ocorrer em abril. Um manual será distribuído para as coordenações regionais de ensino e às coordenações da Subsecretaria de Educação Básica, com cartazes e fôlderes de orientação.

Fonte: Agência Brasília

20.3.17

Tratamento de lixo no Japão é exemplo de cuidado com o ambiente

Assista à reportagem completa clique aqui

O bom exemplo no tratamento do lixo vem do outro lado do mundo. O Bom Dia Brasil - TV Globo visitou um lugar que transforma lixo em energia no Japão.

As ruas das cidades são absolutamente limpas. A preocupação das pessoas vai além da reciclagem. O cuidado é não produzir muito lixo, mas é inevitável ter sujeira, dejetos, coisas que a gente joga fora. A visita a uma moderna usina de tratamento mexe com a cabeça da gente.

Elas se espalham pelo Japão. De longe, parecem prédios, mas são chaminés, a parte mais visível de como os japoneses usam o lixo. Não há depósitos abertos, lixões, mas locais como o da Cidade de Saitama, vizinha a Tóquio.

O entra e sai dos caminhões é constante. Trazem lixo dos bairros ao redor, quase 400 toneladas por dia. Os moradores já separam em casa o que é orgânico do que é reciclável. Cada caminhão traz um tipo de lixo, tratados de forma diferente.

Por trás das portas, fica o depósito de lixo orgânico. Quando os caminhões descarregam, é que descobrimos o tamanho do desafio: enorme. Tudo que chega é controlado de uma sala de vidro, um operador carrega remotamente o lixo até o incinerador.

Lá dentro, a queima acontece por uma hora, à temperatura de 1.800 graus centígrados. De um lado, forma-se um gás, que por uma tubulação alimenta uma turbina geradora de energia. De lá, sai eletricidade para atender o equivalente 10 mil casas. De outro, o que sobra da tal queima, resíduos e metais, que são reaproveitados em sua quase totalidade como, por exemplo, para asfaltar ruas.

No mesmo prédio, mas para outro grande depósito, vai o lixo reciclável, o cuidado ali é outro. Essa enorme garra de aço tem capacidade de transportar até 3 toneladas de carga. Lá no fundo, só tem plástico. Todo esse material vai para uma separação manual, antes de ir para reciclagem.

O processo é rápido. Funcionários separam garrafas pet do plástico comum. Latas de alumínio, metais, são distribuídos em outro setor. E, no final, tudo já sai embalado, limpo, pronto para ser vendido para centros de reciclagem. Assim, do total de lixo que chega à usina, apenas 4% não rendem nada, mas só até agora.

Um dos funcionários me conta que, no futuro, ainda serão aproveitados esses 4%, retirando vários tipos de metal contidos ali.

Para quem se espanta com tanta dedicação ao lixo tem mais. Em um prédio ao lado, foi montado um centro social, onde os moradores se encontram. Podem mergulhar em banheiras com água a 40 °C, fazem ginástica. Tudo funciona com a energia gerada na turbina do lixo.

O senhor Ishikawa, de 70 anos, vai quase todo o dia e diz que essa é uma boa iniciativa para aproveitar o lixo e manter os idosos saudáveis. O japonês aprende que, quando se trata de lixo, nada pode ser desperdiçado.

A queima do lixo pode ser perigosa, pode jogar poluentes na atmosfera, mas os japoneses dizem que colocaram filtros poderosos nas chaminés. O custo total de uma usina como essa, com área de lazer e tudo, é salgado, quase R$ 800 milhões.

Alguns podem dizer, "O lixão é mais barato". Mas no longo prazo não é: pelo impacto ambiental de um lixão, nos rios, no solo, na saúde das pessoas. Lixo abandonado não gera energia, não bota aqueles velhinhos para se encontrar, se exercitar. Lixo não precisa ser problema, se for bem administrado.

Assista à reportagem completa clique aqui

Fonte: G1 / Globo

16.3.17

Governo federal libera recurso para captação emergencial de água no Lago Paranoá

O governo federal liberou R$ 55 milhões para Brasília iniciar as obras de captação emergencial de água do Lago Paranoá. A cerimônia de transferência do recurso ocorreu na tarde desta quarta-feira (15/3), no Palácio do Planalto, com a presença do presidente da República, Michel Temer, e do governador Rodrigo Rollemberg.

A intervenção consiste em instalar uma estrutura flutuante no lado norte do lago. Ela vai distribuir até 700 litros de água por segundo, por meio de seis tanques, a regiões administrativas atendidas pela Barragem do Descoberto.

O plano do Executivo para o enfrentamento imediato da crise hídrica contempla também um sistema de bombeamento nas proximidades do Parque da Cidade Dona Sarah Kubitschek, que permitirá a algumas localidades abastecidas pelo Descoberto receber água do Reservatório de Santa Maria, reduzindo a demanda da primeira.

São elas Guará I e II, Lucio Costa, Colônia Agrícola Águas Claras, Quadras de 1 a 5 do Setor de Mansões Park Way, Candangolândia, Núcleo Bandeirante e algumas quadras de Águas Claras.

Licitações em andamento:

Pregão Eletrônico nº: 041/2017
Aquisição, instalação, comissionamento e operação assistida de sistema de captação e tratamento de água para abastecimento público, utilizando membranas de ultrafiltração, com capacidade de produção de 700 l/s, a ser implantado no Setor de Mansões do Lago Norte, em Brasília, no Distrito Federal, em regime de “Turn Key”. 

Valor estimado: R$ 49.437.985,00.
Outras informações clique aqui

Pregão Eletrônico nº: 012/2017
Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de análises químicas de contaminantes emergentes no Lago Paranoá (quatro campanhas trimestrais), na forma de execução indireta, sob regime de empreitada por preço global.

Valor estimado: R$ 96.497,68.
Outras informações clique aqui

Fonte: Agência Brasília / Caesb

15.3.17

Edifício Sede da Caesb terá Usina de Energia Solar

A Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal - CAESB publicou, em janeiro de 2017, edital de licitação para o fornecimento de uma Usina Minigeradora Fotovoltaica igual ou maior a 700kWp, para o Centro de Gestão Águas Emendadas (Edifício Sede da CAESB - Águas Claras/DF). A previsão de implantação da usina para captação de energia solar é de 08 meses, contados a partir do primeiro dia útil posterior à data de emissão da Ordem de Serviço.

Licitação em andamento
Licitação Pública Nacional (LPN) nº: 003/2017
Contratação de empresa especializada para o fornecimento de uma Usina Minigeradora Fotovoltaica igual ou maior a 700kWp, no Centro de Gestão Águas Emendadas, incluindo sua instalação, manutenção assistida e a elaboração do projeto executivo.

Valor estimado: R$ 5.779.597,49.

Outras informações clique aqui

Fonte: Caesb

8.3.17

DF terá primeira Estação de Metrô com Energia Solar da América Latina

Estação Guariroba receberá placas fotovoltaicas no primeiro semestre de 2017. 


A Companhia do Metropolitano do DF (Metrô-DF) publicou, no final do ano de 2016, edital de licitação para compra de equipamentos com montagem e instalação de Sistema de Energia Solar Fotovoltaica (SESFV) na Estação Guariroba, em Ceilândia. Será a primeira estação de Metrô na América Latina totalmente sustentável, com placas fotovoltaicas – que convertem a luz solar em energia elétrica. Outras estações de metrô no mundo que já têm placas fotovoltaicas: Milão, Nova Iorque e Nova Deli.

O Metrô planeja a inauguração da primeira estação com placas fotovoltaicas para o primeiro semestre de 2017, como parte de uma ação do Programa Metrô Sustentável, lançado em abril do ano passado pelo governador Rodrigo Rollemberg.

“A Estação Guariroba será a quarta no mundo totalmente autossuficiente em termos de energia elétrica e Brasília se torna um exemplo na América Latina. Também será um espaço para que estudantes de várias universidades do DF e de outras unidades da federação possam acompanhar e estudar o funcionamento dessa estação, a primeira ambientalmente sustentável do Distrito Federal”, afirmou o presidente do Metrô-DF, Marcelo Dourado.

A implantação de um projeto piloto de minigeração de energia limpa com fontes de recursos naturais renováveis pretende diversificar a matriz energética da Companhia e servirá para subsidiar novas implantações em outras unidades operacionais do Metrô-DF, aumentando assim a participação de fontes alternativas e limpas para a operação metroviária. A energia captada servirá para abastecer a plataforma, bilheteria, mas não os trens.

As placas em Guariroba aproveitam a energia gerada pelo sol em complementação aos sistemas tradicionais de geração de energia elétrica, especialmente as usinas hidrelétricas e termelétricas, o que reduzirá, a médio prazo, os custos de energia elétrica.

Metrô Sustentável – O Programa Metrô Sustentável foi elaborado de acordo com as diretrizes do Programa de governo local e federal e estabelece metas e prazos para execução de ações com viés social, sustentável, econômico e educativo. A ideia é lançar projetos para utilização de energias renováveis no sistema metroferroviário; implantar a Agenda Ambiental na Administração Pública – A3P; conscientizar usuários e empregados quanto ao uso racional dos recursos naturais e consumo consciente, entre outros.

Licitação em andamento
Pregão Eletrônico nº: 32/2016
Contratação de empresa Aquisição de Equipamentos com Montagem e Instalação de Sistema de Energia Solar Fotovoltaica – SESFV na Estação Guariroba do METRÔ-DF.
Valor estimado: R$ 1.383.772,15 (
2017) e R$ 33.591,60 (2018).
Outras informações clique aqui

Fonte: Metrô DF

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...